Ir para Conteúdo principal
DGRSP

Noticias da DGRSP

Terminou a 1.ª edição do curso de formação para guardas prisionais

71 instruendos terminaram a sua formação e tomaram posse como guardas prisionais em cerimónia de encerramento da primeira edição do Curso de Formação Inicial da Carreira de Guarda Prisional.
17 jan 2022, 16:54
Rómulo Mateus, Diretor-geral de Reinserção e Serviços Prisionais
Rómulo Mateus, Diretor-geral de Reinserção e Serviços Prisionais

No passado dia 14 de janeiro realizou-se, no Estabelecimento Prisional de Lisboa, a Sessão de Encerramento da primeira edição do Curso de Formação Inicial da Carreira de Guarda Prisional (CFICGP) de 2021 e a imposição das insígnias aos novos guardas prisionais. 

O Curso de Formação Inicial da Carreira de Guarda Prisional (CFICGP) de 2021, devido à situação pandémica, foi dividido em duas edições, a primeira iniciada a 1 de Março.
 
O CFICGP 2021 teve a duração de nove meses, sendo quatro de formação teórico-prática e os restantes cinco em contexto real de trabalho em 10 estabelecimentos prisionais, dois femininos e oito masculinos. Terminaram esta primeira edição 71 instruendos, 53 homens e 18 mulheres.

Neste momento decorre ainda a 2.ª edição do Curso, que conta com 65 instruendos, 56 homens e 9 mulheres prevendo-se que no final do corrente mês se inicie a componente de Formação em Contexto Real de Trabalho – Práticas de Aplicação, em Estabelecimentos Prisionais.

A componente teórico-prática do CFICGP 2021 aborda um amplo leque de matérias, desde a disciplina e deontologia profissional, a execução de penas e medidas privativas de liberdade e os princípios e normas internacionais em matéria de respeito pelos Direitos Humanos na prisão, os enquadramentos legais e os procedimentos técnicos em matéria de segurança, o comportamento em meio prisional com destaque para as questões como a segurança dinâmica, o profissionalismo e a comunicação, o relacionamento interpessoal e o trabalho em equipa, a intervenção técnica no tratamento e reinserção social dos reclusos, a saúde, a informática e o sistema de informação prisional, defesa pessoal e atividades físicas.

Numa perspetiva mais transversal de abertura às questões da cidadania, o plano de estudos do Curso envolve também módulos sobre igualdade de género e prevenção e combate à violência doméstica e de género e reclusão e multiculturalidade.

Os cinco meses de Formação em Contexto Real de Trabalho (FCRT), visam preparar os guardas instruendos/as para o desempenho da função através de um período de observação primeiro e da execução de tarefas em posto de trabalho, depois.

Estas atividades decorrem em sete Estabelecimentos Prisionais do continente e são sempre enquadradas por tutores locais, escolhidos de entre os graduados mais experientes dos mesmos.